Associação para a Inovação e Capacitação Empresarial

O Loures INOVA nasce de um projeto financiado pelo POR Lisboa, a partir do qual se estabeleceu uma parceria entre a Câmara Municipal de Loures, o Mercado Abastecedor de Lisboa e a Universidade Nova/Faculdade de Ciência e Tecnologia – Madan Parque de Ciência. Durante 2 anos, desenvolveu diversas ações de diagnóstico e auscultação de necessidades das PME; estabeleceu uma mediação específica entre empresários e o ambiente académico; promoveu ações de formação; avaliou e submeteu candidaturas de projetos de Inovação; divulgou programas de financiamento e outros instrumentos relevantes à atividade empresarial.

Afirmou-se, assim, como um Centro de Negócios que procura potenciar a criação de vantagens competitivas, num contexto de mercado global, a partir da inovação e empreendedorismo, criativo, processual ou de base tecnológica, segurança e certificação de qualidade de produtos e serviços. Tornando-se necessário materializar, a curto prazo, um novo paradigma de atuação suportado pela criação de infraestruturas de acolhimento e aceleração de projetos desta natureza, as três entidades acordaram quanto à necessidade de dar corpo jurídico à estrutura Loures INOVA, através de uma associação privada, sem fins lucrativos, a AICE – Associação para a Inovação e Capacitação Empresarial, que se encontra em fase de constituição.

Missão/Visão

Criar um ambiente favorável à inovação e ao desenvolvimento tecnológico, promovendo a competitividade e o investimento estruturante, em clusters com forte representatividade e potencial de crescimento no concelho: agroalimentar, transportes, logística, saúde, indústrias criativas, ambiente, entre outros que se venham a evidenciar.

Loures afirma-se como um território de excelência a nível do conhecimento, da inovação e do desenvolvimento tecnológico, competindo com outros territórios de âmbito regional e nacional.

Objectivos

Consolidar práticas de inovação e desenvolvimento tecnológico no território; apoiar a atividade empresarial e respetivas competências organizacionais e funcionais, no âmbito da inovação e do desenvolvimento tecnológico;  consolidar a rede de parcerias existente entre os centros de saber/universidades e o tecido empresarial; fortalecer a cooperação institucional e a governação partilhada, com entidades de âmbito local, regional, nacional e internacional; projetar, consolidar e apoiar a clusterização dos sectores emergentes, com base em infraestruturas de suporte a este Ecossistema de Inovação (incubação / aceleração / coworking / startup e living lab).